FANDOM


Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Filhos de Mah ícone Filhos de Mah

Durante a Sexta Era, Akthanakos e os outros Mahjarrats constatam que seus poderes estavam sendo drenados a uma velocidade incrivelmente rápida, fazendo-se necessário um Ritual do Rejuvenescimento muito precoce. Assim como os Mahjarrats, os deuses Zamorak, Zaros e Seren também estavam tendo seus poderes drenados.

Filhos de mah akthanakos na memória de kharshai

Akthanakos na memória de Kharshai. Com Mol'Zhar, o Implacável ao fundo.

Os Mahjarrats zamorakianos, zarosianos, Kharshai e o Guardião do Mundo se reúnem na base do ritual para determinar o que seria feito. Após alguns bate-boca entre zarosianos e zamorakianos, Zaros aparece e os informa da urgência da situação, alegando que seria necessário que todos fossem à Freneskae para que os Mahjarrats não sejam extintos. Eventualmente, os Mahjarrats zamorakianos desconfiaram das palavras de Zaros, acreditando que ele fosse traí-los novamente com falsas promessas. Kharshai então apresenta aos Mahjarrats uma ferramenta capaz de reviver suas memórias do passado, que será utilizada pelo Guardião do Mundo, a fim de que eles consigam se lembrar exatamente do que aconteceu no momento em que Zamorak traiu Zaros.

Após assistirem a cena, as dúvidas apenas aumentaram, e neste momento, Zamorak aparece e compartilha com os presentes sua memória do momento em que esfaqueou Zaros. Kharshai comprova que a memória é legítima, uma vez que ele é o único mahjarrat que não tem motivos para mentir. Até Azzanadra, o mais fiel dos zarosianos, questiona seu próprio deus, após ver a memória exposta por Zamorak. Então, todos decidem ir à Freneskae afim de desvendar os objetivos de Zaros. Já na base do ritual, os dois deuses se desentendem, e Zaros decide matar Zamorak. Derrotado, ele resolve direcionar o poder da sua morte aos Mahjarrats, para rejuvenescê-los. Surpreso com sua coragem, o lorde Vazio para de drenar a energia de Zamorak e poupá-lo, para que ele não se torne um mártir, tendo o deus do caos sido apenas parcialmente sacrificado no ritual. Zaros revela que Mah era quem estava sugando a vida de todos, e ela teria de ser sacrificada para que todos rejuvenesçam eternamente, sem a necessidade de novos rituais. Todos os Mahjarrats presentes concordam, e Zamorak se sente obrigado a fazer um -pacto com Zaros-, pelo bem dos Mahjarrats.

Após completo o ritual, Mah estava morta, e todos os mahjarrats já possuíam acesso ao seu poder por completo, e uma vez que nunca mais precisariam fazer sacrifícios novamente, estavam a salvo da extinção iminente.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.