FANDOM


Veja também Regiões.

Misthalin
Varrock
Inglês Misthalin
Reino Sem informação
Religião Igreja de Saradomin
Montanhas Silvarea (Moritânia)
Líder Rei Roald
Teleporte Sem informação
Habitantes[?] Humanos e Duendes
Outros
Banco ícone mapa 9 (7 para todos, 2 para membros) Altar ícone mapa 5 (4 para todos, 1 para membros) Obelisco ícone mapa
Misthalin mapa
Misthalin bandeira
Misthalin é um dos reinos de RuneScape cuja capital é a cidade de Varrock. Misthalin é um dos principais reinos de Guilenor e é governado por Rei Roald III e a Rainha Ellamaria. Misthalin é a mais poderosa nação humana e de longe a mais antiga, tendo existido desde a segunda metade da Quarta Era. Sua capital, Varrock, surgiu como um pequeno assentamento então conhecido como Avarrocka em algum ponto após o fim das Guerras Divinas. As principais atividades econômicas do reino são a metalurgia, a mineração e o comércio. Varrock é conhecida como a cidade do comércio devido a seu movimentado mercado e à presença do Mercado Geral.

Geografia

O reino é dividido ao meio pelo rio Lum. Faz fronteira a leste com Moritânia no rio Salve, fronteira ao norte com as Terras Selvagens, fronteira ao oeste com o reino de Asgarnia e fronteira ao sul com o oceano e os desertos Kharidianos. A maior parte do seu território é acessível aos jogadores F2P (não-membros).

O clima de Misthalin é suave, permitindo a uma larga variedade de vida vegetal crescer na região. Ao norte o clima é um pouco mais frio, com presença de alguns pinheiros. Ao sul, o clima é mais agradável com uma maior presença de carvalhos e salgueiros. Água está sempre acessível, com vias de água espalhadas através de todo o reino na forma de rios, lagos, lençóis freáticos, etc.

Diplomacia e segurança

Misthalin é um dos reinos mais seguros que há, embora isso tende a mudar com alguns eventos recentes.

Ao norte fica a caótica e perigosa Terra Selvagem. A muralha da Terra Selvagem, separando as fronteiras entre as duas terras, juntamente com o elaborado sistema de fogueiras que alerta Misthalin de qualquer ameaça em potencial torna o reino mais seguro, prevenindo potenciais invasões e perigos de virem do norte.

Ao leste está o reino vampiro de Moritânia, governado pelo temível Lorde Drakan. Desde que Avarrocka foi fundada no princípio da Quarta Era, os humanos de Misthalin estiveram em guerra contra os vampiros de Moritânia. Entretanto, as forças humanas, fiéis a Saradomin, conseguiram derrotar as forças vampiras, fiéis a Zamorak, até o outro lado do rio Salve. Para impedir futuras invasões, o rio foi abençoado pelo próprio Saradomin e hoje nenhuma criatura de natureza nefasta vinda de Moritânia consegue atravessar suas águas abençoadas, impedindo qualquer mal de adentrar Misthalin.

Ao sul está o Mar do Sul, que por sua vez não representa muita ameaça de ataques estrangeiros.

Ao oeste fica Asgarnia, um reino também humano e Saradominista que não tem nenhuma intenção de invadir Misthalin.

Cidades

Ao contrário da crença popular, tanto Fronteiriça quanto a Vila Bárbara são cidades pertencentes a Misthalin, e não a Asgarnia. Já Al-Kharid é governada pelo Emir e faz parte do Deserto Kharidiano, que não pertence a Misthalin.

Política

Rei roald

Rei Roald III de Misthalin

O Reino de Misthalin pode ser considerado de certa forma como uma monarquia constitucional, já que embora a nação seja governada e representada por um monarca, o Rei Roald, há outros governantes dentro do reino responsáveis por regiões específicas. Exemplo disso é o Duque Horácio, que é o representante de Lumbridge e possivelmente Draynor. Já Gunnasgrunn é governada por Gunthor, o Bravo.

É uma nação livre mas que tem um regime reforçado por leis para fins de direitos e defesa. A política também é fortemente influenciada pela religião. Saradominismo é a religião oficial do reino e o Rei possui um conselheiro religioso representante da Igreja de Saradomin, cuja sede fica em Varrock, para ajudá-lo em suas decisões de maneira a defender o interesse de Saradomin.

História

Primeira Era

Antes da Primeira Era, o Deus Guthix encontrou um plano vazio junto com a Pedra de Jas. Ele, então, usou a pedra para moldar a terra, essa foi nomeada, por ele, de Gielinor. Esse fato foi o marco para o início da Primeira Era. Nada se sabe de Misthalin durante essa era.

Segunda Era

Zaros símbolo
Durante a Segunda Era, Misthalin foi parte do imenso império Zarosiano, que compreendia além de Misthalin, as atuais terras de Asgarnia, Terra Selvagem, parte do Deserto Kharidiano e o norte de Moritânia. Dentro do território Misthaliano ficavam duas das maiores fortalezas-cidades de Zaros: Senntisten e Paddewwa.

Senntisten era a capital do império de Zaros e a maior cidade a já existir. Ela chegava a se estender da atual Fronteiriça a oeste até a entrada de Moritânia a leste e consistia num majestoso complexo de cidades, templos dedicados a Zaros e poderosas fortalezas. Sob o governo de Zaros, Misthalin atingiu seu auge num tempo de imensa prosperidade.

É possível que ao sul de Misthalin nesse período houvesse uma frágil porém fascinante civilização, a civilização dos Myriad. Os Myriad, dizem, tinham corpos tão frágeis quanto cristal, mas eram capazes de erguer inteiras cidades desse material, com majestosas torres e espirais. Quando o sol batia nas casas, cores eram projetadas através do material usado para construí-las. As cores eram tão belas e vividas que chegavam a adquirir vida, num dos maiores espetáculos já vistos nestas terras.

Terceira Era

Misthalin sofreu pesadamente durante a Terceira Era, pois essa foi a era das Guerras dos Deuses. Felizmente, porém, a região não chegou a sofrer tanto quanto as Terras Selvagens.

Os Myriad foram completamente aniquilados no cataclisma das Guerras. Os Myriad eram uma raça favorecida por Guthix, mas durante a Segunda Era ele esteve em hibernação; sem alguém que os protegesse, os Myriad foram varridos da face de Guilenor. Hoje, os únicos remanescentes dessa civilização são as criaturas de luz presentes nas caverna dos pântanos de Lumbridge, na mesma caverna onde a guardiã de Guthix, Juna, está.

O império de Zaros foi também destruído. Uma, a uma, suas fortalezas caíram ante as forças conjuntas de Saradomin e Zamorak. Paddewwa caiu rapidamente, permanecendo em ruínas ao longo dessa era. Senntisten foi a última a cair. A poderosa cidade-fortaleza resistiu por mais de 3.000 anos às invasões sucessivas; somente no ano 3740, após ter suas defesas severamente enfraquecidas depois de um ataque conjunto Saradominista, Senntisten sucumbiu às forças Zamorakistas que aniquilaram sua população ainda fiel a Zaros. Em 3804, Senntisten foi conquistada e destruída por forças Saradoministas. Para encobrir a existência da cidade, os Saradoministas construíram em cima de suas ruínas uma nova cidade dedicada a Saradomin: Saranthium.

Quarta Era

Na Quarta Era, Misthalin teve a chance de se reerguer após as Guerras Divinas e chegou a sofrer diversas
Arrav

Arrav, heroi de Misthalin

mudanças de grande importânia, se firmando como reino.

Saranthium foi abandonada e rapidamente caiu em ruínas nos primeiros séculos dessa Era. Ao norte, o território era densamente florestada e foi habitado somente por nômades, humanos bárbaros e duendes. No ano 700 um acontecimento de grande importânia ocorreu: viajantes encontraram um bebê abandonado na área onde hoje fica Varrock. Eles viram aquilo como um bom presságio e firmaram uma vila permanente ali, nomeada como Avarrocka. O bebê viria a se tornar um dos maiores heróis humanos da História, Arrav. Avarrocka foi a primeira comunidade permanente da região.

Após alguns problemas iniciais com os duendes, um tratado de paz foi feito e Avarrocka prosperou em seguida. Outros assentamentos permanentes eventualmente começaram a aparecer. Originalmente, Avarrocka foi governada por um conselho formado pelos Anciães de Avarrocka, mas eventualmente a forma de governo mudou para uma monarquia. Por volta do ano 1000, todas as tribos vizinhas foram conquistadas e tiveram que pagar tributos a Avarrocka; assim nasceu o reino de Misthalin.

Com o tempo, Misthalin foi se tornando mais forte e melhor organizada. Entretanto, no ano 1100, Lorde Lowerniel Vergidiyad Drakan de Moritânia declarou guerra a Misthalin. Suas hordas de vampiros cruzaram o Rio Salve e rapidamente conquistaram as terras a leste de Avarrocka. As forças de Drakan foram barradas, mas os territórios capturados permaneceram perdidos. Ao longo dos 100 anos seguintes, Drakan avançou gradualmente até quase consegui
Paterdomus

Templo Paterdomus, com as estátuas dos Sete Guerreiros Sacerdotais.

r sitiar a cidade de Avarrocka. Porém, ele foi derrotado pelo exército liderado pelos Sete Guerreiros Sacerdotais.

Os Sete Guerreiros conseguiram pouco a pouco reconquistar as terras perdidas e empurrar as hordas de Drakan de volta para o outro lado do Rio Salve. Ao chegar lá, eles abençoaram o rio com a ajuda do próprio Saradomin, impedindo assim que todas as criaturas nefastas de Moritânia conseguissem atravessá-lo.

Ao longo do restante da Quarta Era, os humanos se tornaram mais civilizados e passarm a estabelecer rotas comerciais entre seus reinos e assentamentos. Isso foi beneficial para Misthalin, que pôde comercializar com locais como Asgarnia, Crandor e Entrana.

No ano 1777, vários colonos atravessaram o rio Salve a fim de fundar colônias em Moritânia. Todos eles desapareceram, provavelmente aniquilados e/ou escravizados por Drakan, embora não haja nenhum registro que mostre como ou quando isso aconteceu.

No ano 1937 durante o reinado de Rei Claudius, Polonius, pai de Duque Horácio, recebeu as terras ao norte dos pântanos na foz do rio Lum e se estabeleceu como o primeiro Duque de Lumbridge.

Quinta Era

Durante a Quinta Era, após a descoberta das runas, os humanos rapidamente tornaram-se a raça dominante. Misthalin tornou-se mais poderosa do que nunca e Asgarnia logo se restabeleceu após ter caído em ruínas no meio da Quarta Era. Agora que não havia mais uma ameaça contínua de guerra, os humanos começaram a desenvolver sua cultura e padrões de vida.

Delrith

O demônio Delrith

Uma das maiores obras de engenharia, o esgoto de Varrock, foi construída nesse período. O esgoto foi concluído durante o reinado de Rei Botolph, no ano 20 da Quinta Era. Foi nesse mesmo ano que o demônio Delrith atacou Varrock, mas ele foi derrotado pelo heroi Wally.

A maior catástrofe da Quinta Era foi quando as tribos Fremennik lançaram as Cruzadas das Runas, entre os anos 42 e 70. Durante as Cruzadas, os bárbaros foram destruindo todos os altares de criação de runa, um a um, pois eram contra a prática da criação de runas, considerada uma afronta aos deuses. Os Anões Imcando, raça com grande domínio da metalurgia, foi levada à beira da extinção. Quando os bárbaros tiveram seu líder morto, eles frearam o avanço e se assentaram no que hoje é a Aldeia Bárbara, Gunnasgrunn.

Além da destruição dos altares, a Torre dos Magos foi queimada por magos Zamorakistas e muitos segredos da Magia e da Criação de Runas se perderam. Após perderem o conhecimento da criação de runas, o suprimento das pedras caiu rapidamente.

No ano 139, a cidade-estado de Crandor foi destruída pelo dragão Elvarg. Isso afetou profundamente o governo
Crandor e elvarg

Crandor sendo atacada por Elvarg.

de Misthalin e prejudicou bastante a economia, pois Crandor era um dos principais parceiros comerciais do reino. No ano 143, o Escudo de Arrav, importante relíquia do Museu de Varrock, foi roubado por um sindicato de crime organizado conhecido como a Gangue da Fênix. Os membros da gangue lutaram pelo Escudo até que ele quebrou ao meio e cada facção rival tomou um dos pedaços para si. O grupo que se dividiu da Gangue da Fênix criou uma nova gangue, sua principal rival até hoje. Embora o então rei, Roald II, tenha oferecido uma recompensa de 1.200 moedas para quem devolvesse o Escudo, ele só foi recuperado recentemente.
Zemouregal

Zemouregal

No ano 154, Varrock foi atacada por um exército de mortos-vivos comandados pelo Mahjarrat Zemouregal, um dos maiores inimigos da cidade, mas devido ao limitado suprimento de runas ainda existente, a invasão foi derrotada.

No ano 169, o governo decidiu reformar as ruínas da antiga fortaleza Zarosiana, Paddewwa, e nomearam a cidade construída sobre seus remanescentes de Fronteiriça.

Religião

Durante a Segunda Era, a maioria prestava cultos a Zaros, pelo fato de Misthalin ter feito parte do império zarosiano, atualmente a maioria dos cultos são prestados ao Deus Saradomin muito, devido a construção de Sarinthium.

Áreas notáveis de Misthalin

Para não-membros

Para membros

Missões em Misthalin

Para não-membros

Para membros

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.